Mariana Almeida

Nome: Mariana Almeida

Cidade Natal: São Paulo - Brasil

Data Nascimento: 17/05/1993

Reside : São Paulo - SP

Profissão: Bióloga

Sou Mariana, meus pais me contam sobre a frase que seguiu a escolha do meu nome, Mariana tem Mar. Acredito que meu propósito nasceu na primeira vez que vi o oceano.

Quando pequena ficava ansiosa esperando meu pai me levar para o “fundão” onde não me daria pé. Um pouco mais velha, eram horas que passava boiando na prancha olhando o horizonte do oceano que parece não ter fim.

Cresci e compreendi que o oceano pode ter fim, se não cuidarmos e continuarmos com as mesmas atitudes. Por mais abundante que pareça, seus recursos são limitados. Mergulhar entre os corais e a vida marinha sempre foi o meu refúgio e quando passei a conhecer as ameaças que o oceano enfrentava todos os dias longe da nossa visão devido ao nosso impacto, isso me despertou a vontade de dedicar a vida para protegê-lo como a minha melhor forma de contribuição. 


Sempre quis fazer biologia marinha mas ao mesmo tempo queria conhecer a vida como um todo, qual seria a fisiologia e a evolução dos organismos vivos que nos fazem estar aqui hoje? qual o nosso papel nisso tudo? Com isso, me formei em biologia. Passei por treinamento científico no Instituto Oceanográfico da USP à estágios em projetos de conservação como o Projeto Tamar. Depois de formada decidi estudar a vida também vivendo ela. Com isso, morei na Califórnia, me especializei em Ecossistemas Marinhos e Costeiros e trabalhei como voluntária em projetos de conservação como o Seal Conservancy e também como voluntária no Scripps Institute

Toda essa jornada me fez retornar ao meu país com o coração me pedindo para tornar realidade um sonho antigo que seria começar um projeto independente de conservação. Assim nasceu o Seamade, projeto que sou responsável atualmente. Seamade ou Feitos do Mar, o nome veio na minha mente olhando o céu de Big Island no Hawaii depois de um dia que tive um encontro lindo com golfinhos no oceano. 

Em 3 anos de trabalhos, atuando como terceiro setor, nossas ações recebem voluntários todos os meses para limpeza de praia e educação ambiental de crianças em prol da proteção dos oceanos, entendendo melhor a situação da poluição marinha no litoral paulista. Também começando a atuar no monitoramento de uma comunidade de pesca.

Para mim não há conservação sem aproximação e meu desejo é que as pessoas além de se tornarem ainda mais apaixonadas pelo oceano se sintam parte dele e integrem atitudes que minimizem as ameaças que podemos causar com escolhas no dia a dia.

Que o oceano nos una,e nos faça retornar à nossa origem.